segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sem essa de título antecipado

O equilíbrio na disputa pela vitória em Nurburgring me faz bater novamente na tecla que venho pressionando há algum tempo:  Vettel não é campeão antecipado. Estamos na metade do campeonato e (desculpem o clichê) muita coisa pode acontecer.

Além de Hamilton, o primeiro a cruzar a linha de chegada na Alemanha, Mark Webber e Fernando Alonso tiveram plenas condições de vencer. Mostra de que o trabalho das equipes no meio da temporada pode ser tão ou mais importante do que aquele do começo de ano.

Vettel teve problemas no seu carro e isso pode acontecer quantas vezes os deuses da Fórmula—1 quiserem. Ele tem com fortes adversários um bicampeão Alonso lutando pela sua honra diante dos espanhóis e ferraristas, um estabanado Hamilton tentando fugir da pecha de campeão decadente e um racional Button tentando provar que não venceu uma temporada só porque tinha o melhor carro.

Por falar nisso, Jenson é que mais poderia ajudar Sebastian com algumas dicas. Em 2009, ano em que o inglês reinou na primeira metade da temporada com seu Brawn GP, foi preciso segurar as pontas com o crescimento visível da Red Bull sob comando de um alemãozinho atrevido, para chegar ao fim do ano com mais pontos.

Além dos três citados, Vettel também precisa conter dois pilotos sem aquela áurea de campeões, mas com muita vontade de se superar: Massa e Webber. O brasileiro deu trabalho no fim da corrida germânica e o australiano pode até chutar o balde, deixar pra lá a renovação de contrato com a equipe dos energéticos e pelo menos lutar por alguma coisa mais honrosa que a função de escudeiro.

Enfim. Não digo que Vettel não será campeão. Mas ele vai precisar encarar todos esses adversários e se vencer, virará um jovem bicampeão e um piloto completo.

*****

A Ferrari errou na última parada de Massa sim, mas não é perseguição.O maior prejudicado não foi o piloto brasileiro, mas Alonso, que lucraria mais alguns pontinhos de recuperação no campeonato caso Vettel permanecesse na quinta colocação. E, diga-se de passagem, nada garante que naquela volta final o atual campeão não fosse passar Felipe.

*****

Está cada vez mais interessante a disputa entre as equipes medianas. A pontuação mostra Mercedes e Lotus Renault na quarta e quinta posições do Mundial de Construtores com folga (78 e 66 pontos respectivamente), mas Sauber (35) e Force India (20) têm dado trabalho às duas escuderias nos treinos e na pista.

Na briga, a Mercedes leva vantagem pelo trabalho de sua dupla. Mesmo que Schumacher ande atrás de Rosberg , sempre luta por pontos. Já as outras três, têm contado com o bom trabalho de apenas um de seus pilotos: Petrov (Lotus),  Kobayashi (Sauber) e Sutil (Force India).

domingo, 17 de julho de 2011

Fogo amigo

Na Taça BH de Futebol Junior, o Palmeiras enfrenta o Palmeirense.

Engraçado, parece que faz tempo que o Palmeiras joga contra o Palmeirense...

Tragicômico

Revivendo uma conhecida piada...

- Soy paraguayo.Vim aqui para matá-lo.
- "Para" o quê?
-  Paraguayo

Mal comparando, culpar o gramado pelos erros nos pênaltis é o mesmo que Dilma culpar o asfalto pela crise no Ministério dos Transportes

domingo, 10 de julho de 2011

27 não é pra qualquer um

Alonso mostrou em Silverstone porque é respeitado por todos os seus adversários. Enquanto assiste ao jovem Vettel estraçalhar recordes aos 24 anos, o espanhol comemorou hoje sua 27ª vitória, igualando-se ao tricampeão Jackie Stewart. Claro que seria melhor se tornar o quinto piloto a vencer mais corridas na Fórmula-1 ocupando a campeonato, mas o asturiano não tem do que reclamar.

Na Inglaterra, a Ferrari venceu sua batalha contra a adversária do momento, McLaren, na disputa pelo lugar de segunda melhor equipe. Ganhou de brinde uma vitória com o erro cometido pela Red Bull na parada de Sebastian Vettel, mas se a escuderia italiana não tivesse competência perderia rapidamente a ponta para o alemão.

Vettel terminou na segunda posição contra a vontade de Mark Webber. O australiano recebeu ordens do chefe da equipe, Christian Horner, para desistir da ultrapassagem sobre o colega de equipe e não obedeceu. Como não conseguiu assumir o segundo lugar, ficou pior para ele: além de desobediente, ficou marcado como ineficaz.

Felipe Massa fez uma boa corrida em relação ao que vinha fazendo (poderia ter largado numa posição melhor, não fosse a chuva) e no fim brigou pela quarta posição com a faca entre os dentes com o inglês Lewis Hamilton. Venceu o piloto da McLaren, mas a disputa serve para “dar uma chacoalhada” em Felipe. Agora a temporada do brasileiro pega no tranco.

Tudo mudou
Os tempos na F1 mudaram. Lembra da época em que piloto japonês causava acidentes? Em Silverstone foi Schumacher quem quase estragou a corrida de Kamui Kobayshi ao jogá-lo na grama. O piloto sensação da temporada abandonou e teve que assistir o seu companheiro de equipe Sérgio Perez chegar num ótimo sétimo lugar.

Decisão rápida
Jenson Button foi rápido no pensamento e muito prudente. Logo que percebeu que o pneu dianteiro direito de sua McLaren estava solto, o inglês tratou de reduzir a velocidade e encostar o carro. Abandonou a corrida, mas evitou um acidente mais sério.

Décimo terceiro
Sobre a corrida de Rubens Barrichello... deixa para lá.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Gasto demais

A história já ficou velha, mas nunca é tarde para uma observação no caso Palocci. Convenhamos, quem gasta R$ 1 milhão em uma consultoria realmente está precisando se consultar.

Um passarinho azul me disse

A frase é velha, mas se recicla
"Quem não tuíta
Se estrumbica"

sexta-feira, 1 de julho de 2011